Abelha

"Sem as abelhas, o homem pode desaparecer em quatro anos” (Albert Einstein).

Nome comum: Abelha

Nome científico: Família Apoidea

Características:

A abelha adulta possui cerca de 2cm, normalmente são listradas (preto e amarelo) mas a algumas variações, como a abelha cachorro que é marrom escura, e algumas com uma coloração mais avermelhada. Possui três morfologias: rainha, zangão e operárias.

Habitat/Comportamento:

As abelhas fazem as colmeias no topo de árvores e em parte interna de telhados.

A rainha é a reprodutora, ela coloca ovos que se transformam em operárias, zangões e novas rainhas. Ela é alimentada com geleia real, um alimento especial produzido na colmeia que nutre e possibilita a rainha fertilidade. É quase duas vezes maior que as operárias e vive entre 3 e 5 anos.

Zangão é o único macho da colmeia, não produz ferrão. A única função dele é fecundar rainhas virgens, por não possuir órgãos de trabalho. Atinge a maturidade sexual com 12 dias de vida e vive entre 40 e 60 dias. Tem um corpo menor do que o da rainha mas maior do que das operárias.

As operárias são responsáveis por todo o trabalho, a não ser postura de ovos. Elas fazem a higiene da colmeia, e garantem água e alimento para a colônia. Coletam pólen e néctar, produzem cera (para construírem os favos), alimentam a rainha, os zangões e as larvas que ainda não nasceram. Além de, fazer a defesa da colônia, produzir e estocar mel (para posterior alimentação), aquecem as larvas nos dias frios (com o seu próprio corpo). E fabricam própolis, utilizado para desinfetar favos, paredes, vedar frestas e fixar peças na colmeia. Vivem de 60 a 80 dias.

Reprodução:

Quando a rainha completa 9 dias de vida realiza o voo nupcial, encontrando com zangões e copulando, ela copula com uma média de 10 a 11 zangões (podendo chegar a 17) em 2 dias e nunca mais copula, guardando os espermatozoides no espermateca e fecundando os ovos aos poucos.

Os zangões agrupam-se em locais próximos as colmeias a espera de uma rainha virgem. Quando acham perseguem ela para copular durante um voo, a copulação acontece sempre a 11 metros de altura. Após a copulação o órgão genital é rompido (ficando preso na câmara do ferrão da rainha) e fazendo com que a maioria dos zangões morram.

Curiosidades:

Muitas espécies de plantas não existiriam sem a presença das abelhas, elas são responsáveis pela polinização de 80% das frutas, verduras e legumes.

Os zangões que não morrem após a copulação normalmente não expulsos pelas operárias da colmeia (geralmente morrendo de fome ou frio, pois não conseguem se alimentar sozinho) ou até, são mortos pelas operárias.

Uma colônia pode ter entre 20 e 80 mil abelhas e uma única rainha. Uma rainha pode pôr cerca de 200 mil ovos por ano. Se uma colmeia ficar com 2 abelhas rainhas, elas lutam até ficar só uma viva.

Uma operária pode chegar a visitar 2 mil flores em um único dia. De acordo com o seu tempo e vida as operárias têm funções diferentes, por exemplo, no início da vida seu trabalho é fazer a limpeza da colmeia.

A rainha libera um feromônio para manter harmonia na colmeia e essa substância impede o desenvolvimento dos órgãos sexuais nas operárias.

Porque não pode mata-los?

As abelhas são protegidas pela Lei de Crimes Ambientais, n° 9.605, de 12/02/1998 . O que o torna ilegal matar, perseguir, caçar, apanhar e utilizar, crime com detenção e multa.

Para controlá-las deve contatar um Apicultor que fará a retirada delas.

Tipos/Espécies:

Abelha cachorro ou Irapuã

Trigona spinipes

Abelha africana

Apis mellifera scutellata

Abelha comum ou europeia

Apis mellifera melífera

Abelha norte americana

Bombus impatiens

Abelha cachorro ou Irapuã

Trigona spinipes

Abelha africana

Apis mellifera scutellata

Abelha comum ou europeia

Apis mellifera melífera

Abelha norte americana

Bombus impatiens

 

Ácaro

Nome comum: Ácaro

Nome científico: Classe Arachnida: Acari: Acariformes

Características:

São tão pequenos que só podem ser vistos por microscópicos, possuem mais de 30 mil espécies. Variam de tamanho, entre 0,2 e 0,33 mm. Apresentam quatros pares de patas e não tem antenas.

Habitat/Comportamento:

Se alojam em colchões, travesseiros, tapetes, toalhas, onde as condições de sobrevivência são boas. Os adultos vivem em média 2 meses, outros vivem 100 dias e põe 200 ovos durante a vida. Um colchão comum pode ter de 100 mil até 10 milhões de ácaros.

Alimentação:

Alguns se alimentam de plantas, outros de detritos, mas boa parte são parasitas. Os que convivem com humanos se alimentam de escamas de pele.

Reprodução:

As fêmeas adultas colocam entre 1 e 2 ovos por dia, podendo colocar de 40 a 60 ovos durante a vida.

Tipos/Espécies:

Suas fezes se dispersam no ambiente e podem provocar alergia. Além de, suas carcaças desencadearem crises alérgicas, principalmente nas estações mais secas do ano.

Alguns ácaros são causadores de sarna, um parasita, a fêmea penetra na pele para se alimentar e depositar os ovos, surgindo a partir daí pequenas erupções e coceiras, entre outros sintomas, podendo levar a pessoa a ter problemas sérios de pele.

Outros ácaros, como o ácaro vermelho, se alimentam de plantas, afetam a fotossíntese da mesma impedindo seu crescimento, esses ácaros podem destruir plantações.

 

Ácaro causador da sarna

Sarcoptes scabiei

Ácaro vermelho

Tetranychus evansi

Ácaro que se alimenta de escamas de pele

Dermatophagoides farinae

 

Aranha

Nome comum: Aranha

Nome científico: Classe Arachnida: Araneae

Características:

Só o Brasil possui mais de 4.000 espécies de aranhas, no mundo são mais de 22 mil espécies. Apresentam cores e formatos de corpo bem distintos. Dispõem de quatro pares de patas e não possuem antenas. O tamanho varia de espécies invisíveis a olho nu até espécies de mais de 20cm. A maioria das espécies possui 8 olhos, porém algumas podem ter 6, 4, 2 ou nenhum, como as aranhas das cavernas que são cegas.

Habitat/Comportamento:

Uma aranha vive em média entre 1 e 3 anos, mas há espécies que vivem até 25 anos (como a fêmea da aranha-golias). O habitat varia muito, porém a maioria das espécies se aproximam do habitat humano porque o ser humano destruiu o habitat delas.

Algumas são bem agressivas quando são incomodadas e grande parte das espécies preferem criar seus ninhos em locais escuros.

Alimentação:

Aranhas são predadoras, se alimentam de moscas, mosquitos, grilos, baratas e até outras aranhas.

Apresentam duas formas de conseguir alimentos, algumas espécies esperam o alimento ficar preso na teia, enquanto outras preferem ir à caça. Quando consegue capturar a presa a aranha a morde várias vezes injetando seu veneno, algumas aranhas embrulham as presas para ficar mais fácil de carregar até o ninho.

Reprodução:

A reprodução é sexuada, o macho tece uma teia espermática onde deposita o esperma e o introduz no órgão genital da fêmea, que o guarda no espermateca. Os ovos só são fertilizados no momento em que a fêmea os põe, após a postura dos ovos a fêmea tece um disco de seda para a proteção dos ovos e cuida desses ovos até que eclodam. Uma fêmea pode colocar até 3 mil ovos durante a sua vida.

Quando o macho sai em busca de uma fêmea para se reproduzir realiza uma serie de rituais para ser reconhecido como macho e não presa, pela fêmea. Como a liberação de estímulos químicos, táteis e visuais.

Tipos/Espécies:

As aranhas que esperam as presas caírem na teia são chamadas de sedentárias e são consideradas inofensivas para humanos. Já as que preferem sair à caça possuem um veneno mais forte, alguns venenos podem provocar a morte de humanos, essas aranhas são chamadas de errantes.

As aranhas marrons, por exemplo, são pequenas, encontradas em pilhas de tijolos ou telhas e não tem comportamento agressivo, sua picada ocorre normalmente quando são exprimidas contra o corpo, quando estão em roupas ou quando manipulamos objetos em que estão abrigadas. A picada provoca dor intensa no local, febre, vômitos e pode levar a pessoa a morte.

Já as aranhas armadeiras são maiores, agressivas quando incomodadas (erguem-se sobre o último par de patas e saltam em direção a pessoa), gostam de locais escuros. A maior parte dos acidentes acontecem quando estão abrigadas em sapatos, atrás de móveis, cortina ou quadros. Sei veneno causa uma dor violenta que pode durar horas.

Aranha marrom

Loxosceles sp

Aranha-Golias

Theraphosa blondi

Aranha-armadeira (armada)

Phoneutria sp

Aranha-lobo, Tarântula, Aranha de Jardim

Lycosa sp

Viúva-negra

Latrodectus sp

 

Barata

Nome comum: Barata

Nome científico: Ordem Blattodea: Blattaria

Características:

Costumam ter entre 1 e 5cm, as maiores geralmente vivem em climas tropicais. Possuem três pares de pernas e dois pares de antena. Algumas possuem asas, porém, a maioria das espécies com asas não podem voar. Apresentam cores variadas, mas em geral possuem tons escuros.

Habitat/Comportamento:

Passam pelas fases de ootecas, ninfas e adultos.  Vivem entre 5 meses e 5 anos.

Cada espécie tem uma preferência em habitat, as baratas-de-esgoto ou barata americana, por exemplo, como o nome já diz, prefere caixas de esgoto e de gordura, e ainda reservatórios de água, depósitos, fossa séptica, sanitários, forros, entre outros. Tanto o macho quanto a fêmea podem voar. Vivem de 2 a 3 anos.

Já as baratas-de-cozinha, também chamadas de Francesinha, preferem depósitos de alimentos e bebidas, motores, frestas de alvenaria, dutos de eletricidades e telefonia, expositores de alimentos, gabinetes e armários, máquinas de café, refrigerante e sorvete. Além de, vestiários e sanitários. Apesar da espécie ter asas raramente voam, preferem correr. Vivem 128 dias (macho) e 153 dias (fêmea).

Alimentação:

Em geral gostam de lugar úmido. As baratas de esgoto, comem pequenos insetos, migalhas, pedaços de comida e comida derramada que encontram. Também comendo comida de animais que viram a noite. Encontrando migalhas minúsculas, difíceis de ver a olho nu.

Reprodução:

Cada uma ooteca pode conter entre 15 e 40 ovos. Nas baratas mais comuns em ambientes domésticos no Brasil, por exemplo, baratas-de-cozinha, contém em média 37 ovos e as baratas-de-esgoto, contém entre 14 e 28 ovos.

Tipos/Espécies:

As baratas podem espalhar várias doenças e contaminar os nossos alimentos. As baratas de esgoto, por exemplo, pegam germes em seu corpo quando estão andando no esgoto e depois, transferem esses germes para locais por onde passam, incluindo alimentos. A OMS (Organização Mundial de Saúde) as consideram como provocadoras e portadoras de organismos causadores de várias doenças, como: cólera, peste, febre tifoide, diarreia, disenteria, entre outras.

As baratas de cozinha, são catadoras, capazes de se alimentar de qualquer fonte de alimento disponível, até pasta de dente, sabão e partes de livros. Conseguem achar facilmente os alimentos até em pequenas quantidades, como migalhas não retiradas durante uma limpeza. Ou então prato sujo de comida na pia durante a noite. Estudos recentes indicam que em grandes metrópoles, crises de asma em crianças está ligada diretamente a barata de cozinha.

Barata de Esgoto

Periplaneta americana

Barata de Cozinha

Blattella germânica

Barata Oriental

Blatta orientalis

Comparação de tamanho

 

Besouro

Nome comum: Besouros

Nome científico: Ordem Coleoptera

São conhecidos popularmente como Besouro, Joaninhas, Serra-Paus, Escaravelhos, Vagalumes e Gorgulhos.

Características:

Eles possuem diferentes formas, tamanhos e cores. Em geral possuem uma forma oval. São atualmente mais de 350.000 espécies identificadas, apesar dessa enorme diversidade são facilmente reconhecidos pela sua aparência, pois possuem Élitros, um par de asas rígidas que protegem o par de asas delicadas utilizadas para o voo.

Habitat/Comportamento:

Sua metamorfose é completa, passa pelas fases de larva, pupa e adulto.  Vivem em média entre 3 e 5 anos.

Alimentação:

Sua alimentação é muito variada. Se alimenta de folhas, madeiras, outros insetos, pólen e até carne em decomposição. Os besouros adultos depositam frequentemente seus ovos perto do alimento, que as larvas comerão quando saírem dos ovos.

Reprodução:

Alguns besouros se desenvolvem muito rapidamente e podem produzir mais de uma geração a cada ano. Outros podem levar várias décadas para se desenvolverem.

Tipos/Espécies:

Besouros podem se tornar pragas destrutivas. As larvas do besouro no tapete comem fibras naturais e penas, principalmente os Cascudinho e Bicho da Farinha. Outros besouros, como os Besouros Brocas de Madeira ou Caruncho se alimentam de madeiras e bambu, estas pragas podem atacar móveis e outros itens feitos de madeira.

Alguns, atacam produtos alimentares guardados como os Bicho da Farinha. Também danificando alimentos em locais de produção e lojas. Alguns besouros danificam gramado, atacando as raízes da grama. Outros besouros danificam árvores comendo suas folhas, por exemplo, o Vaquinha.

Cascudinho

Alphitobius diaperinus

Larvas de Bicho de Farinha

Tenebrio Molitor

Vaquinha

Diabrotica Speciosa

Brocas de Madeira ou Caruncho

Bostichoidea Ptinidae

 

Carrapato

Nome comum: Carrapato

Nome científico: Classe Arachnida: Ixodida

Existem duas famílias a Ixodidae (carrapato duro) e a Argasidade (carrapato mole).

Características:

Existem cerca de 850 espécies no mundo. São ectoparasitas hematófagos, responsáveis pela transmissão de inúmeras doenças. A maioria das espécies possui um exoesqueleto firme e resistente. Quando adultos possuem quatro pares de pernas. Normalmente são escuros, seu tamanho varia de 0,03 a 2 cm, a fêmea sempre maior que o macho.

Habitat/Comportamento:

Possui a fase parasitária (quando estão em um hospedeiro) e a fase de vida livre (quando estão à procura de um novo hospedeiro). Algumas espécies precisam de mais de um hospedeiro para completar o ciclo de vida. Habitam locais intimamente associados a seus hospedeiros, mas também ocorrem soltos no solo, cascas de árvores, cavernas, tocas de animais e em ninhos. Vivem em média um ano mas pode se estender facilmente para 3 anos.

Alimentação:

Ambos os sexos são hematófagos. Os principais animais afetados pelos carrapatos são: cães, gatos, galinhas, cavalos, gado e o homem. A fêmea costuma se alimentar bastante para colocar os ovos. O carrapato pode ficar vários dias sem se alimentar, como também podem literalmente explodir de tanto se alimentar.

Reprodução:

A reprodução é sexuada, porém algumas espécies podem formar fêmeas por partenogênese (os machos só se formam por fecundação). Assim que os ovos eclodem as larvas saem a procura de hospedeiro. Se reproduzem várias vezes durante o ano. Uma fêmea pode colocar entre 2mil e 8 mil ovos.

Tipos/Espécies:

Os carrapatos podem transmitir diversas doenças, como febre maculosa, encefalites, febres hemorrágicas, tularemia, ehrlichiose, doença de Lyme, entre outras. Eles só perdem para o mosquito como campeão em vetores de doenças para outros animais (incluindo a espécie homem).

Há uma substância na saliva do carrapato que pode causar alergia, irritação, febre, entre outras coisas.

Carrrapato-vermelho-do-cão (fêmea ingurgitada)

Rhipicephalus sanguineus cajennense

Carrapato-estrela 

(fêmea não ingurgitada)

Amblyomma

Carrapato-de-boi

(todas as fases da fêmea)

Rhipicephalus Boophilus microplus

Carrapato de corpo mole (comum em galinhas)

Argas reflexus

 

Cupim

Nome comum: Cupim

Nome científico: Blattodea: Termitoidae

Característica:

Possui mais de 3.000 espécies conhecidas. São pequenos, medem entre 0,2cm até 2,5cm, porém a rainha chega a 6cm. Normalmente apresenta uma cor avermelhada, dispõem de um par de antenas, um par de asas (somente a rainha e o rei).

Habitat/Comportamento:

Constroem seu ninho no interior de madeiras secas, que possui vários túneis internos e podem chegar a 5 metros. Como as formigas e abelhas, os cupins também são organizados por castas, apresentam polimorfismo, ou seja, cada casta tem uma forma distinta.

As castas são dividias em rei e rainha (produção de ovos), soldados (protegem o ninho), possui mandíbulas para esmagar e cortar adversários, e operárias (construção e alimento), são cegos e estéril.

As operárias e os soldados vivem de um a dois anos e a rainha e o rei vivem entre 15 e 20 nos.

Em uma colônia existe ainda os alados, são reprodutores adultos que na época da revoada abandonam os ninhos para se reproduzir e formar novas colônias.

Alimentação:

Se alimentam principalmente de madeira, porém, também podem se alimentar de materiais formados por celulose, como papel, tecidos, etc.

Reprodução:

Na época de reprodução os machos e as fêmeas enxameiam ou revoam. Depois perdem as asas caem no solo e formam casais reais. A rainha produz diariamente até 7mil ovos. Ao contrário das formigas e das abelhas que se reproduzem só uma vez a fêmea precisa ser fecundada periodicamente e por isso o macho permanece junto da rainha.

Tipos/Espécies:

Causam diversos problemas que normalmente só são detectados quando estão graves. O Cupim subterrâneo, por exemplo, tem hábitos extremamente agressivos, atacam madeiras estruturais e peças de madeira que estão em contato direto com alvenaria.

Geralmente produz ninhos em locais inacessíveis e/ou imperceptíveis a humanos.

Já os Cupins de madeira, possuem um potencial de destruição enorme, geralmente constrói o ninho na própria madeira que infestam e pode ocorrer de haver mais de um ninho na mesma peça de madeira, o que pode resultar em destruição total da estrutura. Gostam de móveis antigos, livros, tecidos, quadros e qualquer estrutura com celulose.

Cupim subterrâneo

Coptotermes gestroi

Cupim de Madeira Seca

Cryptotermes brevis

 

Escorpião amarelo

Tityus serrulatus

Escorpião preto ou Escorpião marrom

Tityus bahiensis

Escorpião do Nordeste

Tityus stigmurus

Escorpião

Nome comum: Escorpião

Nome científico: Classe Arachnida: Scorpiones

Características:

Existe cerca de 1500 espécies de escorpiões. Possuem entre 12mm e 21cm. A cor depende da espécie, pode ser avermelhado, preto, marrom, amarelo. Possui corpo alongado e quatro pares de patas, um par de apêndice terminados em pinça, um segundo par de apêndice terminados com dois dedos e uma cauda que possui duas glândulas de veneno que termina num ferrão.

Habitat/Comportamento:

Vivem entre 2 e 6 anos. Mas já foi registrado escorpiões que chegaram a 8 anos. Possuem hábitos noturnos. Quando se sentem ameaçados utilizam o ferrão para picar e injetar veneno.

Durante o dia ficam escondidos em frestas, e debaixo de pedras, troncos e folhas. São achados em locais com materiais de construção, principalmente locais que possuem madeira. Todos os escorpiões têm veneno, uns mais fortes do que os outros, alguns chegam a matar humanos, principalmente crianças.

Alimentação:

São carnívoros, e preferem se alimentar de insetos e até pequenos animais como, lacraias, sapos, lagartos, aranhas, camundongos. Na falta de alimento praticam canibalismo. Podem passar meses em jejum, não absorvem sólido, quando pegam a presa a cortam em pedaços e ingerem apenas a parte líquida.

Reprodução:

Após o acasalamento a fêmea costuma comer o macho, na maioria das espécies. Cada fêmea pode gerar em torno de 20 filhotes ao ano.

A maioria das espécies desenvolve ovos que eclodem dentro da mãe, outras possuem uma membrana equivalente a placenta. Após o nascimento, os filhotes andam nas costas da mãe até a primeira troca de pele, quando passam a conseguir se alimentar sozinhos.

Tipos/Espécies:

São responsáveis pelo maior número de casos de acidentes com humanos. São transportados pelo homem sem perceber, principalmente, por transporte de carga.

A picada de um escorpião é muito dolorosa, pode causar dor, febre, sensação de frio, contrações musculares, porém a maioria possui toxidade parecida com picada de abelha, em humanos. Na América do Sul entre 25 e 30 espécies de escorpião podem causar a morte de humanos.

As espécies mais comuns de acidente no Brasil são o escorpião amarelo e o escorpião preto. A picada do escorpião amarelo pode ocasionar um estado clinico grave em crianças, que pode levar a morte.

 

Formiga

Nome comum: Formiga

Nome científico: Família Formicidae

Características:

Possui mais de 10.000 espécies, o tamanho delas pode variar bastante a maior dela chega a 2,5 cm.  Sua cor depende da espécie, mas a maioria são vermelhas ou pretas. Conseguem carregar 20 vezes o peso do seu corpo. Somente o macho e as rainhas jovens possuem asas.

Habitat/Comportamento:

Vivem em colônias (uma colônia tem em média 100.000 formigas), além da rainha, vivem as enfermeiras (cuidam das larvas), as operárias (que fazem túneis e procuram alimentos) e as formigas segurança (que cuidam do formigueiro). Só são desenvolvidas novas rainhas e machos em sociedades bem estruturadas e desenvolvidas. As rainhas vivem em média entre 7 e 15 anos. O macho 5 meses. E as operárias variam de espécies para espécies mas possui uma média de 2 a 6 meses, podendo chegar a 7 anos.

Vivem em campos e jardins, mas também em frestas e fendas em locais secos ou úmidos.

Alimentação:

Depende da espécie, podem ser carnívoras, herbívoras, mas a maioria são onívoras (comem de tudo). São pragas domésticas, comem vários tipos de alimento, tendo preferência por substâncias adocicadas, como açúcar, bolo, etc. Com o olfato bastante apurado são atraídas também por migalhas que passam despercebidas durante a limpeza.

Reprodução:

As formigas realizam o voo nupcial em que uma fêmea copula com mais de um macho e guarda os espermatozoides em um espermateca para ir ao longo dos anos liberando e formando ovos. O macho morre depois da copulação. Em seguida, a rainha voa para longe para iniciar uma nova colônia. As rainhas perdem as asas antes de colocarem os ovos.

Tipos/Espécies:

No meio urbano as formigas causam bastante problemas, são condutoras de diversos agentes patogênicos, como bactérias, vírus e fungos. Além da perdas econômicas por danificarem cabos telefônico e equipamentos eletrônicos, por exemplo.

 

Formiga Fantasma

Tapinoma melanocephalum

Formiga Louca

Paratrechina longicornis

Formiga Carpinteira

Camponotus spp

Formiga Lava-pés

Solenopsis sp

Lacraia

Nome comum: Lacraia

Nome científico: Classe Chilopoda

São as lacraias, escolopendras ou centopéias.

Características:

São mais de 3.000 espécies e podem chegar a 30cm de comprimento. O corpo é dividido em dois, cabeça e tronco segmentado, possui um par de antenas, um par de mandíbulas e dois pares de maxila. O tronco pode conter de 15 a 177 segmentos, dependendo da espécie, no qual o primeiro contém um par de garras venenosas. Normalmente tem coloração esverdeada com partes marrom e possuem em média 15 pares de patas.

Habitat/Comportamento:

São noturnas, vivem em locais com bastante umidade. Não gostam de conviver com humanos. Preferem viver no esgoto, pois é o habitat da barata, seu principal alimento. Podem viver até 10 anos.

Alimentação:

São carnívoras e as mais compridas podem chegar a se alimentar de pequenos vertebrados como rãs e aves. Mas a maioria se alimenta de baratas, vermes, insetos, aranhas e pequenos moluscos. O veneno paralisa a presa que são posteriormente devoradas, as capturando com as pinças.

Reprodução:

Possui reprodução sexuada, na maior parte a fecundação interna, mas algumas espécies o macho deixa o espermatóforo (capsula contendo espermatozoide) de forma que seja encontrado pela fêmea e depois ela transfere para o seu corpo. Ela deposita entre 15 e 50 ovos, em alguns dias, em um buraco.

Tipos/Espécies:

Todas as lacraias são venenosas, porém raramente causam acidentes graves, a picada das comuns geralmente causam apenas uma dor e ardência. Normalmente só as grandes possuem um veneno poderoso que pode causar náuseas e paralisia parcial temporária em crianças ou adultos fracos.

A espécie mais comum no meio urbano é a Scolopendra viridicomis.

Scolopendra viridicornis

Scolopendra gigantea

 

Moluscos

(Lesma, caramujo e caracol)

Nome comum: Lesma, caramujo e caracol

Nome científico: Classe Gastropoda

A maior classe do filo Mollusca, é composta por animais marinhos, terrestres e de água doce.

Características:

Nem todos os moluscos apresentam casca, mas quando apresentam normalmente tem forma espiral. A concha serve de proteção quando sentem perigo, alguns moluscos entram na concha e ficam lá até o perigo passar. Quando ele entra na concha a abertura existente nela é fechada por uma estrutura calcária para evitar que o animal seja retirado de lá. Possuem dois pares de tentáculos em sua cabeça.

Habitat/Comportamento:

Alguns moluscos possuem toxinas ou estrutura calcária pontiaguda para se proteger. Vivem em canteiro de horta, jardins, onde houver vegetação e umidade.

Um caramujo e um caracol podem viver entre 5 e 7 anos. Atingem a maturidade em 6 meses e põe em média entre 50 a 80 anos, o caracol podendo chegar a 200 ovos dependendo da espécie. O caramujo pode chagar a 700 ovos, caso do caramujo africano.

Já uma lesma vive em média 3 anos, atingindo a maturidade em 1 ano. E colocam em média 30 ovos.

Alimentação:

A grande maioria é herbívora, se alimentam raspando algas, sementes, plâncton, etc. Lesmas gostam de jardins e podem comer tanto quanto ela pesa, as vezes o dobro, gostam de mastigar plantas e vegetais.

Reprodução:

A maioria são hermafroditas, mas precisam de um parceiro para procriar. A fecundação é cruzada, um transferindo espermatozoides para o outro.

Tipos/Espécies:

Alguns moluscos são hospedeiros de larvas de parasitas como a esquistossomose, como o caramujo da família Planorbidae. E o muco do caramujo africano (Achatina fulica) pode causar distúrbios no sistema nervoso, perfuração do intestino, hemorragia abdominal e até a morte.

Caramujo Africano

Achatina fulica

Caracol de Jardim

Helix aspersa

Lesma Leopardo

Limax maximus

 

Morcego

Nome comum: Morcegos

Nome científico: Ordem Chiroptera

Características:

São os únicos mamíferos que voam. Possuem diversos hábitos alimentares, há espécies insetívoras, frugívoras, hematófagos, piscívoras, carnívoras, nectarívoros e onívoras.

Possuem várias cores, mas em geral são escuros. Já foram catalogadas mais de mil espécies. Normalmente são pequenos, a maioria não pesando mais de 100 gramas.

Habitat/Comportamento:

A expectativa de vida de um morcego varia de 10 a 25 anos, dependendo da espécie e condições de vida. A maioria orienta-se por ecolocalização, emitindo sons de alta frequência, inaudíveis aos ouvidos humanos. Apresentam hábitos crepusculares e noturnos.

Vivem normalmente em copas de árvores, troncos ocos e cavernas. Mas em algumas situações vivem em forros, telhados e casa abandonadas, muitas vezes por seu habitat natural terem sido destruídos ou perturbados.

Alimentação:

A maioria das espécies são herbívoras (se alimentam de frutas) e insetívoros (que se alimentam de insetos). Só existe no mundo três espécies de morcego que são hematófagos (que se alimentam de sangue), todos encontrados na América do Sul. Sendo que, duas espécies se alimentam exclusivamente de aves (Diphylla ecaudata e Diaemus youngii) e a terceira de sangue de aves e mamíferos (Desmodus rotundus).

Reprodução:

A maioria das fêmeas tem um filhote por ninhada, esses filhotes nascem totalmente dependentes da mãe, mamam entre duas e quatro semanas, depois disso estão prontos para vida adulta.

Os morcegos são animais gregários, ou seja, vivem em bando. Quando estão prestes a parir as fêmeas permanecem juntas, na maioria das espécies se alguma fêmea não consegue se alimentar, outras a ajudam, trazendo-lhes comida. E também possuem o hábito de adotar filhotes órfãos.

Curiosidades:

Os morcegos são controladores de insetos, um único morcego pode comer 600 insetos em 1 hora. Além disso, são grandes responsáveis pela formação de florestas, ao ingerir um fruto deixam as sementes cair em um local distante do original, onde pode nascer uma árvore. A cada noite pode ser transportada por um morcego mais de 500 sementes.

Os nectarívoros, também conhecidos por serem polinizadores, retiram o pólen e o néctar e as transportam de flor para flor, mas não só flores, também frutos e árvores. Os morcegos são os únicos que polinizam banana, caju, manga e muitas outras frutas, sem eles esses alimentos não estariam disponíveis. Diversos estudos mostram que, sem os morcegos, muitas florestas tropicais, como a nossa, desapareceriam.

Morcegos hematófagos se alimentam de 15 gramas de sangue, geralmente se alimentam sem o animal perceber. Na ausência de suas presas alimentam-se de sangue de animais domésticos e humanos.

Quando falamos de transmissão da raiva, lembramos logo do morcego, mas o fato é que todos os mamíferos podem transmitir a raiva, não só o morcego, e dos morcegos somente os hematófagos podem transmitir a raiva. Normalmente os morcegos com raiva se comportam de formas estranha e anormal, como ficar deitados no chão, aparecer durante o dia voando baixo e até mesmo no chão.

Porque não pode mata-los?

Os morcegos são animais silvestres e estão protegidos pela Lei de Proteção à Fauna, LEI N° 5.197, de 03 de janeiro de 1967, no Brasil.

Sua perseguição, caça ou destruição são considerados crimes.

Tipos/Espécies:

Morcego Vampiro Comum

Desmodus rotundus

Morcego das Frutas

Artibeus lituratus

Morcego Cauda de Rato

Molossus ater

Morcego Nariz de Folha

Phyllonycteris poeyi

 

Mosca

Nome comum: Mosca

Nome científico: Ordem Diptera: Brachycera

Características:

Há cerca de 150.000 mil espécies de moscas. Apresentam metamorfose completa: ovo, larva, pupa e adulto. Possui uma cabeça distinta e móvel e um par de olhos compostos. Possuem três pares de pata, um par de asas e um par de antenas.

Habitat/Comportamento:

As moscas têm hábitos diurnos e repousam a noite (dentro e fora de edificações, dependendo do clima). Preferem repousar em superfícies estreitas, protegidas dos ventos e distantes do solo (alturas superiores a 2m). Uma mosca vive em média 30 dias e demora entre 7 e 10 dias para virar adulta.

Constantemente esfregam as patas, fazem isso por questão de higiene. Os pelos das patas possuem receptores de aroma e sabor, por isso precisam ficar limpo.

Alimentação:

O olfato é bastante apurado, quando percebem a disponibilidade de matéria orgânica para se alimentar ou por ovos, surgem quase instantaneamente.

Não possui boca, mas um tubo digestório que suga alimentos líquidos. Para isso, muitas vezes quando a substância não é líquida ela solta um fluido estomacal no alimento para dissolve-lo e conseguir consumi-lo.

Se alimentam de matéria orgânica em decomposição, presentes em fezes, lixo e animais mortos. Mas existe espécies hematófagas.

Reprodução:

Atingem a maturidade sexual assim que se tornam adultas. Normalmente as fêmeas, só acasalem uma vez, porém armazena os espermatozoides para colocar ovos ao longo da vida. Uma mosca pode colocar 100 a 1000 ovos por vez e eclodem entre 8h e 24h dependendo da espécie.

Tipos/Espécies:

São hospedeiras de agentes patogênicos, estudos indicam que a mosca pode levar bacilos da febre tifoide em seu corpo, e transmitir diarreia, conjuntivite, lepra, peste bubônica, entre várias outras.

Algumas causam Miíase, doença conhecida como bicheira, que é uma infestação de larvas de dípteros se alimentando de tecidos vivos ou mortos do hospedeiro e de suas substâncias corporais líquidas.

Os ovos são depositados em qualquer tipo de matéria orgânica em decomposição.

Mosca Doméstica

Musca domestica

Mosca de Frutas

Anastrepha fraterculus

Mosca Varejeira

Sarcophaga sp

Mosca Metálica

Chrysomya sp

Percevejo-de-cama

Cimex lectularius

 

Mosquito

Nome comum: Mosquito

Nome científico: Ordem Diptera: Nematocera

Também conhecidos como pernilongos, muriçoca e carapanãs.

Características:

Há mais de 3.600 espécies. Seu ciclo biológico tem várias fases: ovo, quatro fases larvais, pulpa e adulto. As formas jovens se desenvolvem na água.

Possui um par de asa, pernas e antenas.

Habitat/Comportamento:

Alguns tem hábitos noturnos, mas a maioria prefere picar durante o dia. Colocam seus ovos em solos úmidos ou na água, que eclodem quase sempre em 48 horas.

Os ovos são colocados geralmente em pneus, latas, poças, brejos, margens de rios, etc.

A expectativa de vida da fêmea é de 42 a 56 dias e do macho de 10 dias como adulto. Colocam de 100 a 400 ovos por vez.

Alimentação:

Os mosquitos possuem um tubo de sucção de líquidos (seiva, néctar ou sangue). A maioria das espécies possui hábitos hematófagos, exclusivamente das fêmeas para desenvolvimento dos ovos. Os machos se alimentam de seiva de planta.

Reprodução:

Varia de espécie para espécie, alguns copulam durante o voo, outros durante o repouso. O acasalamento ocorre entre 24 e 48 horas após o mosquito virar adulto. A maioria das espécies o mosquito macho utiliza uma espécie de cola para formar uma barreira protetora do seu esperma e bloquear outros mosquitos macho de penetrar na fêmea.

Em algumas espécies não hematófagas, os mosquitos machos são devorados pela fêmea para ela se manter nutrida até por seus ovos, evitando assim sair para buscar comida. Ela deixa apenas seus órgãos genitais funcionado como um tampão para impedir penetração de outros machos.

Tipos/Espécies:

Os mosquitos estão associados a diversas doenças, pois quando as fêmeas hematófagas picam ocorre uma troca de fluidos (do mosquito a saliva, nosso o sangue) e muitas vezes esse mosquito pode estar contaminando com alguma doença, passando para a gente, doenças como a dengue, filariose, leishmaniose, malária, alguns tipos de encefalites, entre outros.

O mosquito Anopheles darlingi, por exemplo, possui fêmeas hematófagas e quando picam causam bastante incomodo aos humanos pois provocam coceira e pode gerar reações alérgicas. Além disso é o principal vetor da malária no Brasil.

Pernilongo Comum

Culex quinquefasciatus

Mosquito da Dengue

Aedes aegypti

Mosquito Prego

Anopheles darlingi

 

Percevejo

Nome comum: Percevejo

Nome científico: Ordem Hemoptera: Heteroptera

Características:

Possuem cerca de 38.000 espécies. Apresentam cabeça triangular ou quadrada, possuem um par de antenas e três pares de patas. Há espécies não possuem asas, porém a maioria possui. Apresentam cores bastante variadas, desde preto a verde claro, alguns deles são bastante coloridos e possuem cores vibrantes. Seu tamanho também é bastante variado, entre 4 e 14mm.

Habitat/Comportamento:

Ocorrem em todos os tipos de hábitat, vivem na maioria das vezes no solo, sobre as plantas, em habitações e como ectoparasitas em morcegos. Um adulto vive entre 6 meses e 1 ano.

Podem viver em praticamente todos os ambientes, em pilhas de tijolo, currais, galinheiros, nas casas são atraídos pelas luzes acesas e entram por frestas. Alguns, são encontrados nas camas (em costuras de colchões, rachadura e em extremidades de cama) como os percevejos-de-cama.

Alimentação:

A maioria das espécies comem vegetais, mas existem espécies que comem insetos e os que se alimentam de sangue.

Os que se alimentam de sangue podem transmitir várias doenças, como o barbeiro que transmitem o mal de Chagas, que pode levar a morte. E os que se alimentam de vegetais podem provocar perdas significativas em uma produção e podem também, transmitir várias doenças para a árvore, como o percevejo do colmo, que ataca principalmente plantação de arroz.

Reprodução:

Os percevejos se reproduzem de forma inusitada, chamada de inseminação traumática. Após a reprodução o macho fecha o canal da fêmea para que outros percevejos não copulem com ela. A inseminação traumática é, outros machos que querem copular com a fêmea, copulam perfurando o abdômen da fêmea, e ejaculando por lá, o esperma viaja por estruturas até o local em que a fêmea guarda os espermatozoides.

Em alguns casos os percevejos copulam com outros machos através da inseminação traumática, que ficam gravemente feridos por não terem a proteção no abdômen que as fêmeas evoluíram e desenvolveram. Uma fêmea pode colocar um pouco mais de 500 ovos durante a sua vida.

Tipos/Espécies:

O percevejo-de-cama infesta leito de hospitais, residências entre outros, e por ser muito pequeno e ter hábitos noturnos, normalmente só conseguimos perceber sua presença quando há uma infestação, sua picada causa uma irritação, coça, deixa a área vermelha e pode causa um leve inchaço onde foi picado, que pode durar algumas semanas, apesar de algumas pessoas não sentirem nada.

Barbeiro

Triatoma infestans

Percevejo-de-Colmo-de-Arroz

Tibraca limbativentris

Pachylis hector

 

Pombo Urbano

Nome comum: Pombo urbano

Nome científico: Columbia livia

São os famosos pombos, também chamado de pombos comuns, pombos urbanos e pombos domésticos.

Características:

Medem aproximadamente 38cm, possui cores variadas, mas a maioria são uma variação cinza, com penugem azuladas ou esverdeadas na altura do pescoço.

Habitat/Comportamento:

São perfeitamente adaptados a ambientes urbanos pois encontram facilmente abrigo, comida e água. Vivem entre 3 e 5 anos.

Se adaptam a praticamente qualquer estrutura, mesmo em locais com a superfície reclinada. Fazendo ninhos em locais altos.

Alimentação:

Pombos urbanos se alimentam de migalhas, insetos, frutos e principalmente resto de comida deixado na rua. Pombos que vivem perto de zonas rurais se alimentam de sementes e grãos.

Reprodução:

Normalmente a fêmea coloca dois ovos por postura, e realizam entre 5 e 6 oviposições durante o ano. Durante 17 ou 18 dias ocorre o desenvolvimento dos ovos.

Curiosidades:

Os pombos urbanos podem ser transmissores de diversas doenças graves, pelos piolhos encontrados nessas aves e pelas fezes principalmente, inclusive fezes secas.

Entre as doenças mais comuns estão a criptococose (causa por fungos presentes nas fezes), salmonelose (causada por bactérias também presentes nas fezes), dermatite (causada por ácaros de pombos), toxoplasmose (causada por protozoários presentes nas fezes), entre outras.

Porque não pode mata-los?

De acordo com a portaria do IBAMA n° 29, de 24/03/94, o pombo é da fauna brasileira. Então é aplicável a Lei de Crimes Ambientais, n° 9.605 de 12/02/1998. O que o torna ilegal matar, perseguir, caçar, apanhar e utilizar, crime com detenção e multa.

 

Pulga

Nome comum: Pulgas

Nome científico: Ordem Siphonaptera

Características:

Existem mais de 2.000 espécies conhecidas, normalmente apresentam cor castanho claro ou escuro, possuem três pares de patas, sendo o último mais desenvolvido e adaptado para salto, qual alcançam distâncias bem superiores ao tamanho do seu corpo. Possuem entre 2 e 5 mm, algumas pulam até 10cm de altura e 30cm de distância, pulgas não voam.

Habitat/Comportamento:

As pulgas adaptam-se perfeitamente em qualquer ambiente e podem viver até um ano e meio. Apresenta 4 estágios de vida: ovo, larva, pupa e adultos, parte dele no ambiente, parte parasitando.

As pulgas não põem seus ovos em local certo como outros insetos, mas geralmente os põe no chão, em vãos e pequenos buracos, em uma casa, por exemplo.

Alimentação:

São hematófagos, ou seja, se alimentam de sangue, tanto a fêmea quanto o macho. Preferem aves e mamíferos, mais pode picar outras classes do reino animal.

Reprodução:

A fêmea copula logo após ficar adulta, normalmente copula com mais de um macho e guarda os espermatozoides para colocar os ovos aos poucos, diferente das abelhas e formigas, ela copula várias vezes, e ocorre habitualmente a fêmea cavalgando o macho.

Após a copula a fêmea precisa se alimentar para poder colocar os ovos, podendo colocar entre 600 e 400 ovos durante a sua vida.

Tipos/Espécies:

Um dos principais problemas da pulga é a transmissão de doença por ser hematófaga, podendo transmitir doença como tifo, peste bubônica e são transmissoras de um parasita Dipylidium caninum (que ingerem quando ainda são larvas) que é conhecido como um verme intestinal e mede de 15 a 20 cm de comprimento.  Além do incomodo provocado por sua picada.

Algumas espécies parasitam só para se alimentar e depois abandonam o hospedeiro, como a pulga do homem. Outras penetram o tecido do hospedeiro para se instalar, como o bicho-de-pé. Mas a maioria se abriga no corpo do hospedeiro como a pulga do gato e a pulga do cão.

Pulga do Homem

Pulex irritans

Bicho-de-Pé

Tunga penetrans

Pulga do Gato

Ctenocephalides felis

Pulga do Cão

Ctenocephalides canis

 

Pulgão

Nome comum: Pulgões

Nome científico: Ordem Hemiptera: Sternorrhyncha

Também conhecidos como Afídios, afídeos e piolhos-das-plantas.

Características:

 Existe cerca de 1,5mil espécies, sendo que, aproximadamente 250 espécies são consideradas pragas. Possuem dois olhos compostos, duas antenas e peças bucais como estiletes.

São bem pequenos, costumam ter o tamanho de uma semente de maracujá, mas podem variar entre 1 e 10mm. Possuem cor uniforme que pode variar entre preto, verde, amarelo, vermelho e castanho.

Habitat/Comportamento:

Vivem no local aonde se alimentam, quando destroem o hospedeiro migram para outro ou morrem. Muitas vezes atraem insetos que destroem também a planta, e inclusive algum os protegem de predadores. Como algumas espécies de formiga, por exemplo, que os protegem de predadores pois aproveita a secreção que os pulgões soltam para se alimentar. A população pode aumentar 10 vezes a cada semana, se não houver nenhum agente contrário a eles.

Alimentação:

Alguns alimentam-se somente de uma planta, mas a maioria se alimenta de várias espécies de planta. As peças bucais que possui, cortam as plantas como estiletes e sugam a seiva (seu alimento).

Reprodução:

A reprodução é assexuada, as fêmeas não precisam de macho para se reproduzir, muitas vezes já carregam um embrião antes de se tornar adulta, da colônia a maioria são fêmeas. Os machos podem nascer em algum período do ano, quando nascem ocorre reprodução sexuada. E também ocorre de macho nascer quando há uma superpopulação em uma hospedeira.

Tipos/Espécies:

Pulgões se multiplicam muito rápido e suas infestações matam rapidamente as plantas hospedeiras. Além de atrair outras pragas que se beneficiam deles, sem mata-lo. Devastam plantações por isso.

Algumas espécies, como o pulgão preto, são transmissoras de doenças em plantas. Por exemplo, o vírus da tristeza dos citro, que só ocorre no Brasil.

Foi descoberto recentemente que algumas espécies de pulgões estão mordendo humanos, o que ocorre muito pouco e com poucas espécies. A saliva do pulgão contém uma substância tóxica que geralmente causa irritação no local. Normalmente ocorre inchaço, vermelhidão durante a primeira hora e depois uma erupção com coceira que pode durar alguns dias.

Pulgão Verde

Aphis spiraecola

Pulgão Preto

Toxoptera citricidus

Planta infestada

Piolho-grande-da-ervilha

Acyrthosiphon pisum

 

Roedores

(Ratos, Ratazanas e Camundongos)

Nome comum: Rato, ratazana e camundongo

Nome científico: Família Muridae

São da ordem dos roedores, a família Muridae contém mais de 650 espécies e incluem ratos, ratazanas e camundongos, e são mamíferos.

Características:

Os Rattus novergicus, também conhecido como ratazana e rato de esgoto. Chegam a 25cm, possui a calda mais comprida do que o resto do corpo. E apresentam pelagem escura.

O Rattus Rattus, chamado de rato ou rato de telhado é esquio e tem normalmente entre 16 e 21cm, tem a pelagem preto e/ou cinza.

O Mus musculus, chamado de camundongo, tem normalmente 8cm de comprimento, pelagem branca ou cinza-acastanhada, calda nua e mais longa que o corpo.

Habitat/Comportamento:

Costumam viver em habitações urbanas, pois recebem tudo o que precisam para sobreviver: água, alimento e abrigo. Biologicamente são noturnos.

As ratazanas, gostam de jardins, montes de entulho, espaços entre paredes, forros, etc. Redes de esgoto ou de escoamento também servem de abrigo, principalmente, por serem vias de acesso ao interior de edificações. Vivem em média 2 anos.

Os ratos preferem construir os abrigos em lugares altos, como forros. Seus ninhos costumam ser menos expostos. Vivem normalmente um ano.

Camundongos são domésticos, costumam se abrigar em interior de fogões, armários, sofás, e outras peças de mobiliários. Vivem em média de dois a dois anos e meio.

Alimentação:

Ratazanas preferem se alimentar de peixes, carnes e cereais. Normalmente seus abrigos não ficam mais do que 45m da fonte de alimento.

Ratos preferem frutas, legumes e cereais. Costumam abrigar-se a no máximo 40m de distância da fonte de alimento.

Os camundongos, preferem cereais e substâncias adocicadas. Abrigam-se a no máximo 35m de distância da fonte de alimento.

Reprodução:

As ratazanas atingem a maturidade sexual entre 60 e 90 dias. A gestação dura 22 dias em média e a cada gestação nascem entre 8 a 10 filhotes. Procriam 4 e 5 vezes por ano.

O rato, atinge a maturidade sexual entre 60 e 75 dias. A gestação dura entre 20 e 22 dias, tendo 7 a 12 filhotes por ninhada. Tendo entre 4 e 8 ninhadas por ano.

O camundongo no geral em dois meses atinge a maturidade sexual, as fêmeas ovulam de 5 em 5 dias e a gestação dura entre 19 e 21 dias, tenho entre 6 e 12 filhotes por gestação.

Tipos/Espécies:

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde) os roedores estão fortemente ligados a 55 doenças transmitidas ao homem, como leptospirose, salmonelose, hantavirose, peste, micoses e sarna. Porém a OMS reconhece que os números de doenças causadas por esses roedores são bem maiores.

Onde tiver alimentos os roedores vão fazer abrigo próximo, as ratoeiras só funcionam para espécies menos desconfiadas como os camundongos.

Ratazana ou Rato de esgoto

Rattus novergicus

Rato ou Rato de telhado

Rattus rattus

Camundongo

Mus musculus

Comparativo de tamanhos

 

Traça

Nome comum: Traça

Nome científico: Ordem Zygentoma

Características:

São bem primitivos, apresentam coloração acinzentada, possuem o corpo achatado e coberto por escamas. Apresentam três filamentos caudais e um par de antena filiforme. O tamanho varia entre 2 e 15 mm.

Habitat/Comportamento:

Podem viver até 10 anos. Gostam de lugares escuros, fechados e apresentam hábitos noturnos. São insetos rasteiros e muito ágeis, conseguem andar verticalmente e horizontalmente sem dificuldade.

Vivem em ambientes urbanos por fornecer tudo de necessário para sua sobrevivência, mas podem ser encontradas também em cavernas, casca de árvores, fendas nas pedras e no solo.

Alimentação:

Vareia muito, por exemplo, as traças-de-livro alimentam-se de amido, e qualquer tipo de material, como: papéis velhos, capas de livro, cola de livro, papelão, sedas e farinhas em geral. Já causaram muitos prejuízos em acervos históricos.

As traças saltadoras alimentam-se de musgo, frutas em decomposição, algas. Ou seja, as duas podem consumir alimento.

Reprodução:

Apresentam reprodução sexuada, podendo se reproduzir ao longo de todo ano, em média colocam 50 ovos. O local onde a traça fêmea coloca os ovos é escolhido para que quando os ovos eclodirem as ninfas já tenha do que se alimentar.

Tipos/Espécies:

Há também as traças-de-roupa e algumas traças de produtos armazenados, que são conhecidas como falsas traças, pois não são traças, são larvas de mariposa. As traças-de-roupa se alimentam principalmente de queratina e gostam de roupa com suor, couro, lã, pelo, fibras sintéticas, entre outros. E as traças de produtos armazenados gostam de farinha, leite em pó, biscoitos, ração, grão....

Normalmente fazem pequenos casulos acinzentados que ficam fixos nas paredes, no interior de armários ou gavetas.

Quando a infestação é muito grande causam diversos estragos, destroem diversos tipos de coisas guardadas, roupas e etc.

Traça Saltadora

Meinertellus adisi

Traça-de-Livro

Lepisma saccharina

Traça de Roupa (Falsa Traça)

Phereoeca uterella

 

© 2015 by UNITEC. Todos os direitos reservados. Criado por Etoile Comunicação&Design

Fotos: Ari Gomes